(66) 3531-9790

Entende-se por libido o desejo de ter uma relação sexual e a sua diminuição ou falta é uma queixa e preocupação frequente para a mulher.

Frases comuns expressas pelas mulheres são “eu tinha libido no início do meu relacionamento e de um tempo para cá está diminuindo cada vez mais” ou “se dependesse de mim não precisaria de sexo nunca mais”. De um modo geral, culturalmente, as mulheres não são ensinadas a valorizarem suas vidas sexuais e esperam que ela sempre ocorra espontaneamente, sem estímulo e sem esforço não levando em consideração que é resultado de diversos fatores que podem mudar ao longo da vida.

A libido feminina decorre de uma interação de fatores biológicos, psicológicos, relacionais e contextuais e para sua ocorrência necessita um funcionamento adequado desses fatores.

Os fatores biológicos incluem níveis hormonais normais, ausência de condições clínicas ou medicações que possam levar a falta de sensações, dor ou desconforto   durante a relação sexual.

Os fatores psicológicos envolvidos na libido são estados depressivos, ansiedade, conceitos e vivências sexuais ao longo da vida (por exemplo experiências sexuais traumáticas como abusos, dor ou desconforto), criação muito conservadora e com pouca informação em relação a sexualidade e tabus religiosos (conceito de sexo é pecado) podem trazer as mulheres bloqueios ou dificuldades de se envolverem sexualmente. Da mesma forma, experiências sexuais prazerosas, estímulos adequados, conhecimento corporal de áreas de prazer estimulam a libido.

Os fatores relacionais estão ligados a pessoa ao qual ocorre o envolvimento sexual. Relacionamentos conturbados, com muitos conflitos, ressentimentos, falta de comunicação, falta de estímulo adequado, disfunção sexual do parceiro levam a diminuição de libido, enquanto relacionamentos afetivos, com boa comunicação, companheirismo e compreensão permitem a manutenção da libido.

Os fatores contexturais incluem os aspectos ambientais. O ambiente deve proporcionar privacidade, segurança e conforto, sendo frequente a falta de libido estar relacionada a filhos dormindo no mesmo quarto do casal.

A mulher pode responder sexualmente de forma resposta espontânea (como acontece no início dos relacionamentos e em alguns períodos do mês) ou responsivo na qual a mulher se envolve numa relação sexual sem muita vontade, mas com uma motivação e estímulo adequado passa a ter desejo de continuar uma relação sexual.

Então, para manter uma vida sexual satisfatória é necessário que todos os fatores que interferem na libido sejam tratados quando prejudiciais e estimulados quando promovem o seu aumento.

Se você está apresentando uma queda de sua libido ou mesmo ausência que está interferindo na sua qualidade vida procure um especialista para lhe ajudar.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
👩🏼⚕Alexandra Secreti Prevedello – Ginecologia e Sexologia
CRM 3561 | RQE 676 | RQE 3319
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀