(66) 3531-9790

A relação sexual é um momento de intimidade do casal que deve ser prazeroso e livre de incômodos ou dores.

A dor na penetração vaginal, também chamada dispareunia, pode ser devido a causas físicas ou psicológicas. Diversas condições orgânicas podem levar a dor, como inflamações ginecológicas, falta de lubrificação (decorrentes da atrofia vaginal da menopausa, amamentação, radioterapia), endometriose, tumores, entre outros.

Uma das causas psicológicas para a dor, ou até mesmo a impossibilidade de realizar a atividade sexual, é o vaginismo.

O vaginismo é a contratura involuntária da musculatura do assoalho pélvico, impossibilitando a relação sexual ou o exame ginecológico. O medo é a causa imediata do vaginismo, condicionando os músculos a uma reação de contratura que pode ser tão intensa de modo a provocar dor e impedir a penetração. Essa condição afeta cerca de 3% a 5% da população feminina e pode ser desconhecida por muitos médicos, que acabam denominando como “frescura” e desvalorizando a queixa e o sofrimento da mulher.

Pode ser consequência a um processo orgânico persistente em que, como defesa ao medo da dor local, a mulher realiza  inconscientemente a contração da musculatura perineal ou secundário a causas psicossociais, como atitudes sexuais negativas, falta de educação sexual, tabus religiosos, vivências sexuais traumáticas, relatos distorcidos sobre a vida sexual, medo de gravidez, fobia de câncer e eventos traumáticos.

O tratamento é realizado com um especialista e individualizado, englobando exercícios de relaxamento da musculatura vaginal e dessensibilização, técnicas de respiração e psicoterapia. A duração do tratamento depende de cada caso e apresenta alto percentual de cura.

Se você estiver apresentando dor ou desconfortos persistentes na relação sexual, procure um especialista para ajudá-la a ter uma vida sexual prazerosa.

👩🏼‍⚕️Alexan20dra Secreti Prevedello – Ginecologia e Sexologia
CRM 3561 | RQE 676 | RQE 3319
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀